domingo, 3 de setembro de 2017

186 - Terras de Capelins: Faleiros - Ferreira de Capelins - Montejuntos 
História, lendas e tradições das terras de Capelins

A Serração da Velha
Esta tradição, muito antiga e de origem pagã, realizava-se na noite de quarta-feira antes do terceiro domingo da Quaresma, chamado domingo "laetare"!
A serração da velha pretendia renovar a vida! Grupos de rapazes iam a meio da noite às portas de mulheres idosas e apontavam-lhe os defeitos, verdadeiros ou imaginários, intimando-as a deixarem-lhe os seus bens! 
As idosas eram consideradas como bodes expiatórios e eram serradas para darem o lugar aos novos, por isso eram escolhidas as mais velhas das aldeias. Esta tradição secular assinalava o meio da Quaresma e acabava com o enterro da velha, representando o fim do tempo de penitência.
Nas terras de Capelins, um grupo de rapazes escolhia as idosas consideradas mais rabugentas e, que se encontravam mais indefesas, porque a serração da velha, muitas vezes acabava mal, mas havia algumas idosas que colaboravam e levavam isso como brincadeira e até contribuíam com alguns produtos para no fim da noite fazerem um petisco! Outras, ficavam muito ofendidas! As idosas deitavam-se muito cedo e a meio da noite começava a serração, simulavam serrar a velha com um serrote numa tábua e sempre com grande "lamúria", um elemento do grupo falava para a idosa e outro com voz semelhante à dela ia respondendo! Após cada defeito apontado, repetiam a frase: "Oh avó! O que deixa ao neto?" Outro elemento do grupo ou a idosa respondia: " O buraco do Cu aberto" e sempre a serrar na tábua! Muitas vezes eram os vizinhos que se zangavam, precisavam de dormir, porque tinham de se levantar de madrugada para trabalhar! A serração da velha era sempre uma grande paródia para os rapazes das terras de Capelins!
Era uma tradição pouco aceitável, mas este ato estava ligado à Igreja, celebrada sob a forma cristianizada da "Queima do Judas"!


Algumas quadras da Serração da Velha:
Estamos no meio da Quaresma,
sem provarmos o café.
Vamos serrar esta velha
para o altar de S. José."

"Estamos no meio da Quaresma,
sem vermos nado do teu amor.
Vamos serrar esta velha
para o altar de Nosso Senhor."

"Digo-te adeus, minha avozinha,
nesta noite tão lembrada.
Não tens nada que nos dar,
damos-te uma chocalhada." 



Sem comentários:

Enviar um comentário

288 - Terras de Capelins  História de vidas de Gentes das terras de Capelins  Família "Romão" de Capelins e arredores  Co...