quarta-feira, 20 de setembro de 2017

197 - Terras de Capelins 
História, lendas e tradições das terras de Capelins
Ribeira do Lucefécit 
Já em 1732 assim se descrevia a Ribeira do Lucefécit:
Padre Luiz Cardoso inquéritos de 1732
"Por diante desta Villa (Alandroal) passa o rio Lucefeci por terras muito fragosas, junto ao qual está hum edifício, que nos tempos antigos foy castello, e ainda no tempo presente lhe dão o nome de castello Velho, porém não há certeza de quem fosse.

Memórias Paroquiais:
1758 - Prior Bento Ferrão Castelbranco do Alandroal: 
"A Ribeira de Luçafece nasce no termo de Estremoz na freguezia de Rio de Moinhos de huma lagoa que ahi há, corre para o Nascente e entra a costear este termo em o Sítio dos Galvões e indo dividindo todo o termo pella parte do Sul se mete em o Rio Guadiana onde se sepulta e perde o nome em o Sítio chamado do Aguilhão".

1758 - Parocho Frei Francisco Xavier Pereira, de Rosário: 
"Tem a ditta freguezia de Comprimento duas legoas, principia na parte Norte com as Erdades de Alcalaz Ribeiro que tem seo nascimento próxomo da ditta Villa do Alandroal engtrando pela parte do poente em a Ribeira de Lucem Fecit, correndo da parte Norte para o Sul, cercando a freguezia he entrando em Guadiana na Erdade do Aguilhão".

1758 - Pároco Manoel Ramalho Madeira - Santo António(atual Capelins):
"(...) no sítio desta Freguezia entram nella duas ribeiras pequeinas huma Luçafece e a outra Asavel, as duas que de verão nam correm por nam terem os seos moinhos de pão".

1758 - Prior Mathias Viegas da Sylva, de Terena:
"Corre junto desta villa huma ribeira com o nome de Luçafece, termo divisorio dos dous termos de Terena e Landroal. Tem esta seo nascimento em huma Lagôa que esta no sitio de Rio-de-Moinhos, termo de Estremoz, e de outras agoas, que descem da Serra doça, Distante a dita Lagôa desta villa tres legoas: e correndo pelas faldas da mesma Serra, paulatinamente vai engrossando suas correntes: passa pelo termo de tres villas, Borba, Vila Viçoza e Landroal, correndo em gyros sempre solitária até que se avizinha a Terena em distancia para mais (?) daqui passa junto à Ferreira villa da serenissima Caza do Infantado, distante huma legoa; depois correndo outra legoa entre o Baldio do Roncão deste termo e a Erdade do Aguilhão, termo do Landroal, entra no Guadiana, menos agradecido depois de lhe receber as agoas lhe tira o nome. São cinco legoas do lugar aonde nasce até ao Guadiana onde morre. Corre do Norte para a parte acima do Sul. Somente conserva a sua corrente neste termo, enquanto as chuvas lhe formão as mesmas correntes, que no estio se vem extintas. He o seo curso neste termo moderado sem muita precipitação, por serem planicies os campos por onde passa. He abundante dos peixes que comumente há nas ribeiras pequenas desta provincia. As mais frequentes pescarias que nela se fazem, (que são livres) são no inverno até fins de Abril. Fora mais piscoza esta ribeira se na sua foz não tivera hum açude alto e forte, que lhe impede a subida dos peixes do Guadiana com a do Lucefece subindo muito sobre o dito açude; o qual parece devia ser demolido; porque sempre o bem comum prevaleceo ao particular":  


Ano de 1758, o Prior Bento Ferrão Castelbranco escreve o seguinte sobre a Ribeira do Lucefécit:

"Não damos a etimologia da Ribeyra de Luçafece porque sobre ella não há couza provavel por mais que alguns com louca prezunpção pertendão decobrir a verdadeyra origem deste nome, porque não podendo nós caminhar sem a guia dos Escriptores antigos, pello vasto e escuro paiz da antiguidade e não havendo hum só que dicesse alguma couza neste particular, tudo o que afirmarmos será destituído de fundamento posto que nos queyramos valer de alguma vulgar tradição que he autoridade totalmente débil".


Aqui, "acaba" a Ribeira do Lucefécit de hoje, onde se inicia o Grande Lago de Alqueva!


Sem comentários:

Enviar um comentário

283 - Terras de Capelins  História de Capelins  Escritura da Courela onde foi construída a Igreja de Santo António Como sabemos, as ...