quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

258 - Terras de Capelins

História de vidas de gentes de Capelins

A comunidade capelinense foi sempre constituída por Famílias oriundas de diversas regiões de Portugal e, de localidades espanholas próximas da raia, verificando-se maior afluência nos anos de 1700 e 1800! Assim, devido ao interesse manifestado por algumas Famílias no sentido de conhecerem as suas origens, procedemos à pesquisa, através dos Assentos Paroquiais, de algumas Famílias conhecidas nesta Freguesia de Capelins!
 O nosso objetivo é identificar o respetivo casal, mas seguir apenas o elemento do apelido, a sua filiação, data de nascimento, lugar do nascimento, data do matrimónio, nome do/a esposo/a, lugar onde se realizou o matrimónio e outros elementos relevantes!
Esta pesquisa é sobre a Família “Mira” que descobriu as terras de Capelins na década de 1790, através do pioneiro José de Mira, o qual veio da sua terra natal, Aldeia de Valverde – Freguesia de Nossa Senhora da Assunção da Tourega – Évora!
Percurso de vida da Família “Mira”
Como referimos, José de Mira chegou às terras de Capelins na década de 1790, onde contraiu matrimónio com Francisca Rodrigues, natural de Santiago Maior, no dia 05 de Agosto de 1798, na Igreja de Santo António de Capelins!
José de Mira e, sua legítima mulher Francisca Rodrigues, tiveram vários filhos/as, conhecemos quatro, do sexo masculino que, deram origem às diversas Famílias “Mira” que povoaram as terras de Capelins e arredores! Os filhos do género masculino chamavam-se: Manuel de Mira, Fernando de Mira, Vicente de Mira e João de Mira. No caso da linhagem da família que seguimos, devido à manifestação dos seus familiares, a mesma, já em Capelins, teve origem em João de Mira, logo, para trás de José de Mira é igual para toda esta Família!
A pesquisa, começa dos tempos mais recentes, dos Registos Paroquiais de Santo António de Capelins até ao limite temporário dos registos Paroquiais da antiga Paróquia de São Matias – Évora, dia 02 de Março de 1641, mais de 350 anos e 10 gerações da família Mira! Estão ao dispor de interessados todos os Assentos Paroquiais a que nos referimos até àquela data, mas como antes referimos seguimos apenas o ramo direto do 1º grau “Mira”, com algumas exceções.

Assim:

     1. Nome: Manuel Mira
Data de nascimento: 11 de Novembro de 1900
Ficheiro 40
Naturalidade: Freguesia de Capelins
Filiação: Inácio Mira e de Maria Antónia
Data de matrimónio: 16 de Abril de 1922
Lugar do matrimónio: Igreja de Santo António de Capelins
Nome da esposa: Mariana Francisca
Naturalidade: Freguesia de Capelins
Filiação: António João Velladas e Francisca Luzia.

     2. Nome: Inácio Mira
Data de nascimento: 31 de Maio de 1873
Ficheiro 5
Naturalidade: Freguesia de Capelins
Filiação: Manuel Mira e de Maria Luiza
Data de matrimónio: Não encontrado em Capelins
Lugar do matrimónio: Não encontrado
Nome da esposa: Maria Antónia
Naturalidade: Freguesia de Capelins
Filiação: Vicente Mira e Antónia Velladas
Inácio Mira faleceu no Alandroal em 26-12-1939

  3. Nome: Manuel Mira
Data de nascimento: 16 de Dezembro de 1832
Ficheiro 124
Naturalidade: Freguesia de Capelins
Filiação: João Mira e de Maria de Jesus
Data de matrimónio: 03 de Outubro de 1861
Ficheiro 4
Lugar do matrimónio: Igreja de Santo António de Capelins
Nome da esposa: Maria Luiza
Naturalidade: Freguesia de Capelins
Filiação: Inácio Marques e de Catharina Maria

     4. Nome: João Mira
Data de nascimento: 27 de Agosto de 1809
Ficheiro 42
Naturalidade: Freguesia de Capelins
Filiação: José de Mira e de Francisca Rodrigues
Data de matrimónio: 05 de Agosto de 1832
Ficheiro 38
Lugar do matrimónio: Igreja de Santo António de Capelins
Nome da esposa: Maria de Jesus
Naturalidade: Freguesia de Capelins
Filiação: Domingos Esteves e de Brites Maria

5. Nome: José de Mira
Data de nascimento: 05 de Fevereiro de 1772
Ficheiro 17
Naturalidade: Freguesia de Nª Senhora da Assunção da Tourega - Valverde
Filiação: João de Mira e de Maria Joanna
Data de matrimónio: 05 de Agosto de 1798
Ficheiro 63
Lugar do matrimónio: Igreja de Santo António de Capelins
Nome da esposa: Francisca Rodrigues
Naturalidade: Freguesia de Santiago Maior
Filiação: Manoel Marques e de Joaquina Nunes

     6. Nome: João de Mira
Data de nascimento: 03 de Fevereiro de 1745
Ficheiro 23
Naturalidade: Freguesia de Nª Senhora da Assunção da Tourega - Valverde
Filiação: Domingos Friz e de Maria de Mira
Data de matrimónio: Não encontrada
Lugar do matrimónio: Não encontrada
Nome da esposa: Maria Joanna
Naturalidade: Freguesia de São Brás do Regedouro

Seguimos a Família “Mira”, cujo apelido, nesta geração foi transmitido pelo lado materno, ou seja, por Antónia de Mira, assim:

     7. Nome: Maria de Mira
Data de nascimento: 28 de Abril de 1709
Ficheiro 12
Naturalidade: Freguesia de Nª Senhora da Assunção da Tourega - Valverde
Filiação: Martinho Freire Galego e de Antónia de Mira
Data de matrimónio: 21 de Abril de 1738
Ficheiro 28
Lugar do matrimónio: Freguesia de Nª Senhora da Assunção da Tourega - Valverde
Nome do esposo: Domingos Friz
Naturalidade: Villa de Aguiar – Viana do Alentejo
Filiação: Brás Friz e de Izabel Gliz
Naturais da Villa de Aguiar

     8. Nome: Antónia de Mira
Data de nascimento: 09 de Junho de 1678
Ficheiro 48
Naturalidade: São Matias - Évora
Filiação: António Roiz e de Grácia Vidigal
Data de matrimónio: Não encontrado
Lugar do matrimónio: Não encontrado
Nome do esposo: Martinho Freire Galego
Naturalidade: Vila Ruiva - Cuba
Filiação: António Galego e de Joanna Pombera
Naturais de Vila Ruiva - Cuba

     9. Nome: Grácia Vidigal
Da. ta de nascimento: 28 de Outubro de 1656
Ficheiro 58
Naturalidade: São Matias - Évora
Filiação: Francisco Roiz e de Caterina Vidigal
Data de matrimónio: Não encontrado
Lugar do matrimónio: Não encontrado
Nome do esposo: António Roiz
Naturalidade: São Gregório - Arraiolos

10. Nome: Caterina Vidigal
Data de nascimento: Prevê-se década de 1630, não há Assentos
Naturalidade: São Matias - Évora
Filiação: Não há Assentos
Data de matrimónio: Não encontrado
Lugar do matrimónio: Não encontrado
Nome do esposo: Pedro Roiz
Naturalidade: Não encontrado.

Na 9ª e 10 ª gerações não consta o apelido “Mira” mas sim o de “Vidigal”, originando a dúvida sobre, de qual ramo da filiação de Antónia de Mira, surge este apelido! Esta situação levou-nos a investigar se, quando o pai de Antónia de Mira chegou a São Matias, vindo de São Gregório – Arraiolos, já aqui existia o apelido “Mira”  e de facto, logo, no ano de 1643 encontramos Luiza Mira e, a seguir outras pessoas com o mesmo apelido, assim, podemos concluir que, a Família Mira já existia quando Grácia Vidigal casou com António Roiz que, como referimos veio de São Gregório, estando, então, os “Mira” já ligados aos “Vidigal” que também já aqui os encontramos em grande número no ano de 1642 e decerto muito antes, mas não existem Registos antes de 1641. Tudo indica que Grácia Vidigal foi recuperar o apelido “Mira” para os seus vários filhos, que encontramos nos Assentos Paroquiais de São Matias.
É de salientar que, o padrinho de batismo de Grácia Vidigal foi, Francisco de Mira, casado com Izabel Vidigal.
Desde o início dos registos 1641, existem em São Matias, muitas Famílias com o apelido “Mira” e, talvez ainda mais com o de “Vidigal”.

Os apelidos: Roiz, Friz e Gliz, são: Rodrigues, Fernandes e Gonçalves que vieram de: Rodriguez, Fernandez e Gonçalvez, apelidos judaicos espanhóis, que se encontram nas linhagens de quase todos os alentejanos e beirões.


Resumo histórico/administrativo, das Paróquias envolvidas:

Santo antónio de capelins – alandroal História 

administrativa/biográfica/familiar

A Freguesia, nos séculos XVII, XVIII e até meados do século XIX era designada por Santo António, termo da Vila de Terena.

Posteriormente, aparece nos Registos Paroquiais como Santo António de Capelins, sendo atualmente denominada Capelins.

Pertencem a esta Freguesia as localidades de Ferreira de Capelins e Montes Juntos.

O orago da Freguesia é Santo António.

nossa senhora da Tourega – valverde – évora

História administrativa/biográfica/familiar

A designação mais antiga da Freguesia era Ourega, estando documentada desde o séc. XIII. Mas também é denominada Nossa Senhora da Assunção de Tourega.

A Paróquia, no termo de Évora, era curado da apresentação do Arcebispo daquela Diocese.De 1911 a 1926 esteve anexada à Freguesia da Graça do Divor. Com o Decreto n.º 12509, de 18 de Outubro de 1926, foi desanexada da referida Freguesia e foi-lhe anexada a de São Brás do Regedouro. Pelo Decreto n.º27424, de 31 de Dezembro de 1936, e em resultado da extinção da Freguesia de São Brás do Regedouro, ficou só como Freguesia de Nossa Senhora da Tourega.

O orago é Nossa Senhora da Assunção.

São Matias - évora 

História administrativa/biográfica/familiar

Esta Freguesia já era referenciada em 1555, no livro de Batismos da Sé de Évora.

A antiga Freguesia de São Matias, no termo de Évora, era curado da apresentação do Arcebispado da Diocese.

Após 1911, a Freguesia foi anexada à da Graça do Divor. 

Em 8 de Dezembro de 1966 foi transferida a sede de Freguesia para a igreja de Nossa Senhora de Guadalupe, com o título de Paróquia. Todo o seu território ficou integrado na Freguesia de Nossa Senhora da Guadalupe, criada pelo Decreto-Lei n.º 128/85 de 4 de Outubro.

O orago é São Matias.

Fim 


 

Sem comentários:

Enviar um comentário

288 - Terras de Capelins  História de vidas de Gentes das terras de Capelins  Família "Romão" de Capelins e arredores  Co...