domingo, 26 de novembro de 2017

225 - Terras de Capelins: Faleiros - Ferreira de Capelins - Montejuntos 
História, lendas e tradições das terras de Capelins 
O Manoel da ti Rosa e, a Sua Fé na Benzedura do Sol
O Manoel da ti Rosa que, morava em Capelins de Baixo, era jornaleiro na herdade da Zorra, cumprindo o horário de trabalho de sol a sol! A jorna incluía a comida, pelo que, depois da ceia já não compensava ir dormir a casa, assim, só lá voltava nos domingos à tarde para fazer a mudança da roupa e, entregar o dinheiro que ganhava à sua mãe! 
Quando o sol aqueceu, no mês de Junho, o Manoel  começou a queixar-se de dores de cabeça! Os companheiros mais velhos e experientes, diziam-lhe que tinha sol dentro da cabeça e, precisava de ser benzido para ele sair, mas o Manoel não acreditava nisso! Como é que o sol lhe entrava para dentro da cabeça? As dores continuavam e, sempre que se queixava, ouvia o mesmo comentário: Tens que ser benzido do sol e vais ver que as dores de cabeça acabam, diziam os companheiros! 
O Manoel não se encontrava melhor e, no domingo seguinte ao chegar a Capelins de Baixo, contou à mãe que andava com dores de cabeça e os companheiros diziam-lhe que era o sol que estava lá dentro e tinha de ser benzido para sair, mas eu não acredito nisso! A ti Rosa que recorria às benzeduras da sua comadre Maria Gertrudes para tratar todos os males, ficou logo alvoraçada com o Manoel, por ainda não lhe ter contado que tinha as dores de cabeça e por não ter fé nas benzeduras! Vamos mesmo agora à da nossa comadre Maria para ela te benzer do sol e acaba-se já essa dor de cabeça! O Manoel ainda fez finca pé dizendo: Oh mãe, vocemecê acredita que o sol me entrou para a cabeça? Acredito, sim, Manoel, o sol está lá dentro da tua cabeça, mas a comadre Maria Gertrudes já o tira, vais ver! Anda daí! 
Chegaram à casa da ti Maria Gertrudes, considerada com muitos poderes nas benzeduras em Capelins e, em poucos minutos o Manoel já tinha uma toalha dobrada em cima da cabeça com um grande copo de vidro quase cheio de água por cima da toalha a fazer muitas bolhinhas, as quais, conforme disseram as  comadres eram o sol a sair de dentro da cabeça do Manoel, era tanto sol que começou a sair ainda antes da ti Maria ter tempo de começar a rezar! 
As orações foram repetidas três vezes e, no fim o Manoel recebeu a garantia de que as dores de cabeça tinham acabado, mas por segurança era melhor voltar no domingo seguinte, porque o sol era tanto, decerto ainda lá estavam alguns restos! 
O Manoel sentiu-se logo melhor, voltou ao seu trabalho na herdade da Zorra e, nunca mais sentiu dor de cabeça! 
No domingo seguinte, o Manoel apesar de estar curado, por exigência de sua mãe, voltou a ser benzido pela ti Maria Gertrudes e, continuou a sair muito sol de dentro da sua cabeça, mas acabou por sair todo! 
A partir daí, o Manoel ficou com muita fé na benzedura do sol!

A ti Maria Gertrudes segurava o copo com a mão esquerda e, com a mão direita fazia cruzes no ar sobre a cabeça do Manoel, enquanto dizia:

Maria perguntou a Jesus
Como o sol se benzeria:
Com uma toalha lavada
E um copo de água fria
Em louvor de São José
E da Virgem Santa Maria
Que esta doença se cure
Nesta hora e neste dia
Padre Nosso... Avé Maria...

A outra versão:

Nossa Senhora pelo mundo andou
o seu querido filho sol apanhou
Ela procurou
com que o curaria? 
com um pano de linho e um copo de água fria! 
Padre Nosso... Ave Maria... 





Sem comentários:

Enviar um comentário

274 - Terras de Capelins  História de Capelins  Até, perto de meados de 1800, os capelinenses eram sepultados no interior da Igreja d...