segunda-feira, 4 de setembro de 2017

330 - Terras de Capelins: Faleiros - Ferreira de Capelins - Montejuntos
História, lendas e tradições das terras de Capelins
A Queima dos Bonecos de Palha 
A queima do boneco, simbolizava a "queima do Judas" e, tal como a "serração da velha" também era uma tradição pagã, que se realizava na Quaresma, em algumas localidades no sábado de Aleluia, noutras nessa mesma semana, ambas estavam ligadas à "queima do Judas" (mas parece nunca foi queimado), o boneco representava alguém que se procurava atingir, com a finalidade de vingança, neste caso, fazendo uma crítica a um rapaz que estava mal visto perante as raparigas por ter "feito pouco de alguma", isto é, ter namorado com ela e depois tê-la deixado, sendo uma grande ofensa para ela e para toda a sua família, porque, depois já nenhum rapaz da sua aldeia queria casar com ela, ficava "desgraçada", se não viesse algum rapaz de fora, de outra localidade, a procurá-la, já seria muito difícil de casar, a não ser com um rapaz que por algum motivo tinha dificuldade em encontrar rapariga para se casar! Também acontecia, uma rapariga ser dada a um rapaz, ou seja, por brincadeira, ou não, um rapaz recebia uma proposta de uma pessoa mais velha, às vezes da família dela, para se arranjar com uma determinada rapariga, essa pessoa dizia "que seria boa para ele" e, se o rapaz respondesse mal, que não gostava dela porque era feia, ou mal jeitosa ou outro defeito, depois se essa resposta chegasse aos ouvidos das raparigas em causa, elas podia ignorar ou ficarem ofendidas e, geralmente elas exclamavam: "Quem é que ele pensa que é? "Um feioso daqueles", ou coisas semelhantes e, juravam vingança, ou seja, depois queimavam o Judas, que era esse rapaz e, ao mesmo tempo denegriam a sua imagem! 
A rapariga, da qual um rapaz "fazia pouco", no ano seguinte, tinha a oportunidade de, através da queima do boneco o difamar e, simbolicamente o queimar! Tudo era preparado em segredo, com um grupo de raparigas das suas relações que, também se sentiam ofendidas! Secretamente, construíam o boneco feito de palha e papéis, o mesmo era espetado num pau com dois ou três metros e no dia específico juntavam-se todas, puxavam fogo ao boneco, gritavam palavras contra aquele rapaz que o boneco representava e entoavam cânticos através dos quais o ridicularizavam, diziam: "que tinha o nariz torto, que tinha as pernas tortas, que era muito feio e evidenciavam outros atributos ofensivos! 
Como, na maioria dos anos a data da queima do boneco era na época da monda do trigo, elas levavam o boneco de madrugada e escondiam-no no caminho para o trabalho e à tardinha quando voltavam, antes de entrarem na aldeia, davam início à festa! 
Assistiam muitas pessoas a este ato para saberem quem era o rapaz que o boneco representava e o que diziam dele, porque depois era tema de conversa durante muito tempo nas terras de Capelins! 
Após o boneco arder, acompanhado de cânticos e de gritos estridentes, era eliminada a raiva ou parte dela, contra esse rapaz, ficava consumada a vingança, a vida continuava, mas as raparigas em causa, principalmente as que tinham sido namoradas, nunca mais falavam com os respetivos rapazes nem com a sua família!

Antiga Vila de Ferreira



Sem comentários:

Enviar um comentário

446 - Terras de Capelins  História de Capelins  A Doação das Vilas de Terena e de Ferreira, por D. Fernando I, a sua filha a Infanta ...