quarta-feira, 16 de agosto de 2017

182 - Terras de Capelins: Faleiros - Ferreira de Capelins - Montejuntos 

História, lendas e tradições das terras de Capelins

A lenda da taberna da Ti Xica dos Potes 
A ti Xica dos Potes era uma mulher já dentro do meio século de idade, natural da Vila de Terena, onde ganhou o apelido porque vendia potes para azeite e outros fins. Porém, o negócio estava muito fraco, porque nessa época essas coisas eram tão boas que duravam vidas e além disso, existiam por lá outros concorrentes! Assim, a ti Xica convenceu o marido a deixarem a Vila de Terena e, com os cinco filhos, descerem até Capelins de Cima, onde abriram uma taberna para ela e ele foi trabalhar como jornaleiro na herdade da Defesa de Ferreira. A taberna depressa se tornou um sucesso, por ser novidade e pelo jeito que a taberneira tinha para o negócio. O lugar em Capelins de Cima também ajudava, porque estava ao lado do Monte Grande onde havia sempre muitos trabalhadores que frequentavam as tabernas da aldeia! Logo no início a ti Xica nunca bebia em frente dos clientes, mas todos sabiam que ela não lhe perdoava devido ao bafo que exalava cheiro a vinho e a aguardente, mas com o passar do tempo, já sem vergonha, a ti Xica encontrou uma maneira de beber o vinho a custo zero! Só tinha cinco copos, que nessa época eram objetos de luxo, então os primeiros a chegar bebiam pelo copo de vidro, muito pesados eram só quase vidro com uma pequena cavidade, que não levavam quase nada do precioso líquido, os outros clientes ou bebiam por um quartilho de lata ou por um cocho, (feito em cortiça) mas a quantidade era medida por um copo de vidro! Era esta a salvação da ti Xica, aos clientes já conhecidos, enchia o copo de vidro até acima e depois antes de o passar para o quartilho, para não entornar, dava-lhe um sorvo, ficando logo o copo quase em meio! Os clientes reclamavam: Então ti Xica? Isso é o quê? E ela respondia: É para não entornar! Tens nojo de mim? Eu não tenho nenhum mal que te pegue! Não é isso! É que assim não bebo vinho nenhum! E tenho de o pagar! Diziam os clientes! Deixa que um dia ainda te hás-de fartar! Dizia a ti Xica! E assim continuava até já estar tonta e cair numa cadeira a dormir atrás do balcão, que até ressonava! A partir daquele momento, começavam os clientes a aviar os copos de vinho, porque pediam-lhe um copo de vinho ou de aguardente e ela tonta e ensonada respondia: Enche tu o copo aí da chocolateira, mas não abuses! Como posso abusar, se o copo não leva mais! Diziam os clientes! Sim! Mas não é preciso pores de cagulo, senão o vinho entorna-se por aí! Dizia a ti Xica e continuava a ressonar! E ficava assim, até lhe passar a tonteira! A taberna da ti Xica ganhou fama pelas terras de Capelins e vizinhas, não só pelas suas façanhas de beber a meias com os clientes, mas, porque tinha petiscos para acompanhar o vinho, o peixe frito, do rio Guadiana, uma delícia! A ti Xica esteve à frente da taberna até ao fim da sua vida e foi longa, depois foi passando para as gerações seguintes, existindo no mesmo lugar até meados dos anos 1900! 
Muitos dos nossos antepassados, tiveram grandes alegrias na taberna da ti Xica dos Potes, em Capelins de Cima! 



Sem comentários:

Enviar um comentário

274 - Terras de Capelins  História de Capelins  Até, perto de meados de 1800, os capelinenses eram sepultados no interior da Igreja d...