quarta-feira, 24 de maio de 2017


132 - Terras de Capelins: Faleiros - Ferreira - Montejuntos 

História, lendas e tradições das terras de Capelins

A lenda do pastor do Monte da Talaveira 
Contam que, na década de 1840 havia um pastor na herdade da Talaveira que era admirado por todos os outros pastores das terras de Capelins, porque tinha as ovelhas do seu rebanho tão bem educadas que lhe obedeciam através de assobios e simples palavras, dispensando os cães para as voltar ou para as juntar. Quando as queria juntar dava um assobio e gritava: "ovelhas dum cabrãum" e imediatamente o rebanho se juntava. Quando queria que as ovelhas voltassem da direção que levavam, dava dois assobios seguidos de: "ovelhas dum cabrãum" e, as ovelhas voltavam logo, quando queria soltar as ovelhas do ovil, dava três assobios e dizia as palavras mágicas e as ovelhas saiam a caminho da pastagem. Os cães serviam apenas para defender o rebanho dos lobos, mas foi com a sua ajuda que as ovelhas foram treinadas e, as mais novas, as borregas, iam aprendendo com as mais velhas e era um gosto ver aqueles animais tão obedientes! O lavrador do Monte da Talaveira, que era o seu proprietário, visitava temporariamente o pastor para se inteirar como estava o seu rebanho e, enquanto ele por ali andava, as palavras mágicas eram esquecidas, porque era impensável ofender um lavrador, o pastor ficava um pouco nervoso porque naquelas situações as ovelhas não lhe obedeciam, a sorte dele era que o lavrador nunca se demorava muito tempo. Mas uma madrugada estava a levantar-se da tarimba, chegou o lavrador e disse-lhe: Manoel, vai soltar as ovelhas e obriga-as a passar por esta porta, eu fico aqui e quero vê-las uma a uma, só assim sei como está o rebanho, lá no meio do pasto, não consigo ver bem os animais! Está bem patrão, é já mesmo agora, é só vestir o pelico! Disse o pastor! E logo de seguida dirigiu-se ao rebanho e começou a incitar as ovelhas para sairem do ovil, gritava, praguejava, mas elas metiam a cabeça umas por baixo das outras e não lhe obedeciam, o pastor empurrava-as, puxava-as, já caía de costas e nada! O lavrador estava abismado a assistir ao espetáculo, até que teve de intervir! Então Manoel, o que se passa com as ovelhas? Não sei patrão, nunca aconteceu uma coisa destas, isto parece bruxedo, tem que ser bruxedo! Disse o pastor! O lavrador, pediu o cajado ao pastor e disse-lhe para se afastar dali, porque as ovelhas deviam estar com medo dele! O lavrador foi na direção das ovelhas e começou a bater com o cajado no chão e a falar alto, mas as ovelhas não se mexiam, o lavrador já desesperado, gritou: "Fora, ovelhas dum cabrãum", naquele momento as ovelhas começaram a sair do ovil, ordeiramente, mostrando uma disciplina nunca vista! Acabaram de sair para o pasto, o lavrador entregou o cajado ao pastor e seguiu o seu caminho, sem dizer uma palavra! Nunca se soube o motivo desta atitude do lavrador, mas soube-se que nunca mais foi ver as ovelhas à saída do ovil! 



Sem comentários:

Enviar um comentário

274 - Terras de Capelins  História de Capelins  Até, perto de meados de 1800, os capelinenses eram sepultados no interior da Igreja d...