quinta-feira, 13 de abril de 2017

108 - Terras de Capelins 
História, lendas e tradições das terras de Capelins
O lobo amestrado e o milagre de Nossa Senhora das Neves  Parte 2 
No dia seguinte, conforme estava combinado, à tardinha lá estava o compadre do Ti João junto ao Ribeiro da Amadoreira, muito perto do rio Guadiana. O Ti João foi ter com ele, cumprimentaram-se e explicou-lhe como iam fazer, o compadre ficava num lugar mais alto atrás de umas rochas, para ver e não perturbar o lobo, depois de tudo certo o Ti João desceu uns sessenta metros, preparou a respiração e deu um assobio dobrado, ficaram à espera e em poucos minutos apareceu lá ao fundo um lindo lobo, o Ti João chamou-o: "vem cá lobito, vem cá". O lobo aproximou-se, mas parou as uns vinte ou trinta metros, demonstrando um comportamento anormal, farejou, farejou e repentinamente transformou-se numa autentica fera, eriçou o pêlo do dorso e lançou-se em voo sobre o Ti João, arreganhando os dentes que pareciam facas afiadas na direção da sua garganta. O Ti João ficou muito assustado, mas não virou costas, levantou o pau, que era ferrado, (com um ferro embutido à ponta) e gritou: "Socorro Nossa Senhora das Neves", o pau que ele tinha levantado disparou com tal intensidade contra a cabeça do lobo, que lhe caiu em cima dos pés, ficando inerte. O compadre, pastor da Amadoreira, assistiu a tudo, mas nada podia fazer, veio ter com o Ti João, mas nem conseguia falar, tremia todo dentro das botas e os poucos dentes que tinha batiam uns contra os outros que parecia estar a tocar castanholas, quando acalmou, disse: "Foi por pouco compadre, eu já ai vinha ajudá-lo, mas estava lá tão longe! Está morto, não está?" Agora está, depois venho enterrá-lo, mas como é que isto aconteceu! Ele conhecia-me tão bem! Disse o Ti João! O lobo conhecia o Ti João, mas noutras circunstâncias, faltava ali um objeto essencial ao lobo, era a tijela onde bebia o leite e comia, que substituiu a mãe que nunca conheceu, para ele, era um símbolo de respeito carinho e de amor, estando a tijela associada ao assobio dobrado do Ti João. Daí a pouco, já mais calmos, os pastores despediram-se, recolheram as ovelhas e foram para as respetivas choças. O Ti João assim que chegou, contou à mulher o que se tinha passado, ela chorou muito e recordou o que lhe tinha dito no dia em que ele levou o lobito para a choça: "Vamos ver se esse lobo não vai ser a nossa desgraça"! Não foi, mas esteve perto! O marido disse-lhe que ainda ia a correr enterrar o lobo, pegou numa enxada e dirigiu-se ao lugar onde o tinha deixado, supostamente morto, mas quando lá chegou, não existia qualquer sinal do lobo, procurou tudo em redor e nada, acabou por voltar à choça. A conversa com a Ti Margarida continuou e ele afirmou que tinha sido um milagre de Nossa Senhora das Neves que lhe salvou a vida! E agora o que fazemos para lhe agradecer? Disse o Ti João! Depois de discutirem várias ideias, concordaram em ir contar o que se passou ao Pároco de Santo António, que era o mesmo de Nossa Senhora das Neves, o Padre Jerónimo de Jesus Maria Granja. Dois dias depois, o Ti João albardou a burra e foi a Santo António contar tudo ao Pároco e pedir-lhe ajuda sobre o que deviam fazer. O padre, disse-lhe que deviam fazer uma procissão, mas também deviam oferecer um borrego ou um cabrito a Nossa Senhora das Neves, mas entregava-o a ele ali em Santo António, mas a sua família seria encomendada a Nossa Senhora das Neves para continuar protegida e, daí a quinze dias, no domingo, às três horas da tarde realizava-se lá a procissão e o Ti João entregava-lhe ali o borrego no sábado. Ficou tudo combinado e o Ti João voltou à Defesa de Bobadela. Ainda nesse dia, começaram a planear tudo, ficou assente que os três filhos mais novos iam vestidos de anjinhos e tinham de arranjar roupa a condizer com a cerimónia, porque eles seriam as estrelas da procissão e, logo no dia seguinte, começaram os preparativos, o Ti João foi encarregado de fazer a armação das asinhas dos anjinhos, em vime e em buinho e fez, depois a Ti Margarida forrou-as com pele de borrego e ficaram lindas. 
No dia 12 de Maio de 1862, realizou-se uma grande procissão na Ermida de Nossa Senhora das Neves, o Ti João e família foram agradecer a tão grande dádiva, que foi a salvação da sua vida! 
Nunca mais ninguém soube o que aconteceu ao lobo e, o Ti João não voltou a dar o assobio dobrado até ao fim da sua vida!

Ermida de Nossa Senhora das Neves em Capelins 



Sem comentários:

Enviar um comentário

288 - Terras de Capelins  História de vidas de Gentes das terras de Capelins  Família "Romão" de Capelins e arredores  Co...